Momentos económicos… e não só

e o evento que mais marcou 2014, em termos económicos, foi

4 comentários

a) não o ter-se mantido o euro (ainda houve quem apostasse no seu fim no início do ano, mas agora para 2015, isso parece ter desaparecido), mas podia ter sido;

b) não o fim do programa de ajustamento, apesar do contador decrescente (inicialmente com data errada) que até existiu;

c) não a prometida reforma do estado, ainda que adiada e provavelmente mal entendida no que deve ser: a criação de um processo continuo de melhoria do estado, em lugar de um big bang determinado por algum (ou alguns) iluminado(s)

d) não o “estourar” do GES, com o BES a ser dividido, apesar do prometido impacto sistémico ter até ver sido bastante contido, se exceptuarmos a PT e o seu ruinoso “investimento” (aspas porque se duvida que tenha sido investimento no sentido que habitualmente se dá);

A meu ver, a verdadeira novidade económica esteve ligada ao GES, mas não pela intervenção do Banco de Portugal, ou pelo que se vai descobrindo do funcionamento interno do GES.

O que marca uma viragem decisiva face ao passado é a decisão do Governo de deixar falir o que era visto como o banco do regime, levando a sério o funcionamento da economia, e impondo o ónus de má gestão e de decisões erradas a quem as toma. É certo que pelo meio houve “danos colaterais”, nomeadamente quem desconhecendo os riscos tenha ido ao aumento de capital do BES, mas não há investimento em acções que sejam imunes ao risco. De qualquer modo, o diferente está na atitude perante as grandes empresas, mesmo financeiras. Se esta for uma mudança permanente, então um elemento importante da “reforma do estado” terá sido alcançado. Faltarão muitos outros. Mas a sensação de que o Estado não tem como missão salvar grandes empresas, privadas, dos seus erros de gestão é fundamental para um bom funcionamento da economia. Para que empresários mais inovadores se possam colocar objectivos de “destronar” empresas reinantes, que não irão ter possibilidade de recorrer ao Estado para as proteger.

Veremos se esta primeira decisão é seguida, no futuro, por outras similares, mesmo que venham a ser governantes diferentes a tomá-las. Será uma mudança mais profunda que muitos eventos que se classificaram como caracterizadores de 2014.

Como nota final, tinha pensado em não comentar o ano de 2014, e não fazer previsões para 2015. Cumpro apenas a segunda parte, pois quanto à primeira parte, depois de várias leituras e comentários sobre o que foi 2014, cheguei à conclusão que não alinhava pelo mesmo olhar de muitos comentadores.

Autor: Pedro Pita Barros

Professor de Economia da Universidade Nova de Lisboa

4 thoughts on “e o evento que mais marcou 2014, em termos económicos, foi

  1. Antes de mais, os meus aplausos pela sua persistência em manter com muita regularidade um blog de grande qualidade num país onde a generalidade dos académicos não arrisca expressar-se publicamente por escrito. Nem para comentar sequer.

    Quanto ao seu apontamento de hoje, limito o meu comentário ao primeiro ponto: contrariamente ao que muitos aguraram, e continuam a augurar, o euro parece ter entrado para ficar. Aliás, ainda não entendi como será (seria) possível engendrar uma saída para baixo, isto é, sair de uma moeda forte para uma moeda fraca. Ouço e leio os mais mediáticos defensores da saída e não lhes entendo as tácticas ainda que lhes possa entender a estratégia.

    Mas é inquestionável que esta incerteza contribui em grande medida para continuar a abalar a economia do país.

    Gostar

  2. leia “auguraram” sff, em vez do que lá está.

    E um Excelente 2015!

    Gostar

  3. Caro Rui Fonseca,
    Obrigado pelas palavras simpáticas de início de ano ! Bom Ano de 2015!

    Esperemos que as questões de saída do euro não sejam retomadas na sequência das próximas eleições na Grécia.

    Gostar

  4. Sem dúvida que vale a pena acompanhar o seu ponto de vista. A melhor escolha do facto relevante de 2014 que vi.
    Bom Ano Novo e dDus lha dê forças para continuar

    Gostar

Deixe um momento económico para discussão...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s