Momentos económicos… e não só

Programas de governo: contando palavras

2 comentários

Têm sido escritas muitas análises dos programas de governo, comparando as opções políticas e as propostas dos partidos proponentes. Cada análise inclui, mesmo que não seja de forma propositada, o ponto de vista de quem escreve, quase inevitavelmente.

Uma curiosidade que tenho é perceber se o programa do XX Governo (o segundo Governo liderado por Passos Coelho) está mais próximo do programa do XIX Governo (o primeiro liderado por Passos Coelho) ou da proposta de programa do PS (o que a acontecer será o XXI Governo).

Para me isolar do meu próprio enviesamento, decidi usar um programa de contagem de palavras, e agrupar por temas (o que será sempre discutível, embora juntar desemprego, desempregado, desempregadas, etc., seja razoável).

Os diferentes programas têm dimensões diferentes, e convém olhar para o número absoluto de palavras e para o número relativo.

Contar palavras não desvenda o conteúdo das propostas, dá quando muito a importância de cada tema (podendo ter igual importância mas de sentido oposto quando se comparam programas, basta ter um “não” à frente por exemplo). Ainda assim, como exercício de tratamento sumário dos programas, pensei que me poderia dar uma primeira visão do que cada programa (ou proposta de programa) considera mais relevante em termos de temática.

Uma primeira curiosidade é o termo “memorando”, que surgia 16 vezes no programa do XIX Governo, e que desaparece completamente no programa do XX Governo e na proposta do PS para programa de Governo.

A proposta do PS é a que tem mais palavras, quase 50% mais do que o programa do XX Governo, que por sua vez era também ele cerca de 50% maior, em palavras, do que o programa do XIX Governo. Dividi (de forma ad-hoc) os termos que mais interessam por 3 grandes temas: economia, sector público e sociedade. Para cada um destes temas, os quadros seguintes apresentam o número de palavras associados com os termos, sendo que variantes do mesmo termo foram somadas (os exemplo mais óbvios, utilização de masculino/feminino e/ou singular/plural).

Sem grandes surpresas, o programa do PS tem mais referências a quase todos os temas, por ser um texto mais longo. Ainda assim, só com os números absolutos é possível perceber que as Misericórdias, que surgiam com várias referências no programa do XIX, praticamente desaparecem no programa do XX Governo e na proposta no PS. Os aspectos de desemprego, equidade/pobreza, emigração e sector público, por seu lado, aparecem com mais força no programa do PS. Tal como a energia e o mar. Já os temas de “reformas” e “digital” têm pouca atenção no programa do PS face ao programa do XX Governo (sendo que o digital não surgia no programa do XIX Governo).

Em termos relativos, olhando para o peso relativo de cada tema dentro do total dos temas a que dei atenção, os gráficos mostram os elementos relativos ao funcionamento do mercado privado recebiam mais atenção no programa do XIX Governo do que no programa do XX Governo, que lhes deu mais atenção que na proposta do PS. Inovação e Investimento recebem mais importância na proposta do PS, embora exportações e infraestruturas tenham menos importância relativa do programa do PS. Enquanto o XIX Governo se referia frequentemente a solidariedade, a proposta do PS incide mais em desigualdade/equidade/pobreza. Reflete provavelmente a linguagem própria de cada área política.

A vantagem dos quadros e dos gráficos é permitirem a cada um identificar o que sejam as diferenças nas áreas que mais lhe importam.

Construindo um indice de diferença entre os três documentos com base na diferença entre a frequência relativa de palavras (dentro dos temas seleccionados) entre cada dois programas (elevando ao quadrado cada diferença e somando todas as parcelas), ao valor 0 a igualdade entre propostas. A diferença entre a proposta do PS e o programa do XX Governo tem um score de 0,06, a diferença entre os programas do XIX e do XX Governos tem um score de 0,13 e o score da diferença entre o programa do PS e o programa do XIX Governo é 0,18. Ou seja, também por aqui se encontra uma aproximação do programa do XX Governo ao PS, mais do que ao Governo anterior.

Economia Proposta PS XX Governo XIX Governo
Agricultura e pescas 71 53 44
Banca 27 11 7
Crescimento 36 45 31
Digital 30 54 6
Empresas/Empreendedorismo/industria 278 204 161
Exportações 34 28 24
Infraestruturas 35 28 21
Inovação 84 46 27
Investimento 187 120 60
Mercado/sector privado/concorrência/competitividade 283 268 206
Salários/remunerações/rendimentos 80 49 30
Mar 67 33 18
Economia 228 194 131
Energia 101 51 21
Regulação 33 27 20
Sector Público Proposta PS XX Governo XIX Governo
Ambiente 123 88 35
Autarquias 33 38 15
Desemprego/emprego 244 154 99
Memorando 0 0 16
Contas Públicas/Orçamento 36 39 32
Pensões 28 22 16
Sector Público 354 233 147
Reformas 39 77 37
Social 292 227 154
Impostos 34 25 11
Privatizações 6 4 11
Saúde 87 62 66
Sociedade Proposta PS XX Governo XIX Governo
Emigração 38 5 4
Envelhecimento/Demografia 46 34 14
Equidade/desigualdades/Pobreza 77 28 19
IPSS/Misericórdias 1 2 32
Natalidade 28 16 14
Solidariedade 24 23 31
Sociedade

Sociedade

Sector Público

Sector Público

Economia

Economia

(nota: os valores das figuras são as percentagens de termos em cada tema no total dado pela soma de todas as palavras de todos os temas para o mesmo programa).

Autor: Pedro Pita Barros

Professor de Economia da Universidade Nova de Lisboa

2 thoughts on “Programas de governo: contando palavras

  1. Caro Prof. Pedro Pita Barros,
    Qual poderá sera intrepretação que se pode fazer de num programa mais curto (XX Governo), as palavras Crescimento, Digital, na área da Economia surgirem mais vezes que na Proposta do PS e no Setor Publico, temos as palavras Autarquias e Reformas?
    Sem tomar qualquer posição entre os documentos, parece-me que qualquer um destes termos seriam relevantes para um programa de Governo.

    Gostar

  2. Caro Vitor,
    contar palavras não é uma análise rigorosa do conteúdo dos programas, ainda assim expressam de algum modo a importância dada aos diferentes temas. A minha interpretação é que alguém que colaborou no programa do XX Governo tem um especial interesse pelo mundo digital e suas consequências e oportunidades, tendo conseguido que lhe fosse dada atenção que não recebeu no caso do programa do PS. No campo da saúde, essa relevância do digital era também visível nos programas eleitorais.

    Quanto à palavra reformas (no sentido de políticas de reforma, e não de pensões de reforma), creio que a sua pouca frequência no programa do PS se deve realmente à pouca relevância que tem em termos relativos face a outras preocupações expressas. O mesmo quanto ao papel das autarquias, recebeu menos pensamento no programa do PS provavelmente porque a atenção foi absorvida pelos aspectos mais macroeconômicos das políticas públicas. Em qualquer caso, a sua baixa frequência em qualquer dos programas sugere que o poder local é tratado de algum modo “à distância” no momento da elaboração destes textos.

    Gostar

Deixe um momento económico para discussão...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s